fbpx
criatividade

Criatividade: o que é e como aplicar no seu dia a dia

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

A criatividade é a capacidade que alguém possui para criar, inventar ou fazer inovações na área em que atua. Ela não é um dom, mas sim uma habilidade que pode ser aprendida por qualquer pessoa. Continue lendo para entender!

Nolan Bushnell, fundador da Atari, disse uma vez:

“Todo mundo já tomou uma ducha e teve uma ideia. Mas é a pessoa que sai do chuveiro, se seca e faz algo sobre isso que faz a diferença.”

E isso é o que há de inspirador na criatividade e não apenas as ideias diferentes, reuniões de brainstorming ou papéis coloridos.

A criatividade é a capacidade de imaginar, criar, produzir, inventar, mas também de colocar a mão na massa e resolver problemas. Não é à toa que ela é uma habilidade que funciona como uma ponte entre o que é abstrato e o que é tangível.

Pensando nisso, aqui você encontrará tudo o que precisa saber sobre a criatividade, incluindo como começar a desenvolver essa habilidade. Se você anda precisando de novas ideias, então este texto foi escrito para você.

Certo, mas antes, o que é criatividade?

Existem muitas definições sobre o que significa criatividade, porém o dicionário destaca que a criatividade é a capacidade que alguém possui para criar, inventar ou fazer inovações na área em que ela atua.

É interessante perceber que, mesmo em todas as definições presentes em dicionários ou obras de grandes autores, em nenhuma delas há a menção de que a criatividade é um dom que nasce com as pessoas.

Na verdade, a criatividade é uma competência que, assim como qualquer outra habilidade, pode ser desenvolvida e aperfeiçoada, mesmo que você nunca tenha trabalhado com ela na vida.

Certo, mas de onde vem a criatividade? O escritor Jonathan Lethem fala que nada é original, portanto todo trabalho criativo surge a partir do que veio antes. Não existe nada novo.

Talvez, neste momento, você já esteja a ponto de desistir deste artigo e se entristecer, afinal é impossível criar algo diferente, certo? Errado!

No livro Roube como um Artista, o autor menciona que se estivermos livres do fardo de sermos completamente originais, podemos parar de tentar construir algo do nada e abraçar a influência, ao invés de fugirmos dela.

É isso que faz os produtos e empresas mais disruptivas do mundo serem tão incríveis. Elas não fogem do fato de que se inspiraram em algo já existente, para criar algo ainda melhor. Elas abraçam a influência.

É só parar pra pensar um pouco em como a Uber pegou a ideia já existente de pedir um táxi e aperfeiçoou isso. Ou então o Nubank, que pegou a ideia já existente dos bancos, mas trouxe um novo olhar sobre isso. E ainda tem o iFood, que transformou a maneira como pedimos um delivery.

A genealogia das ideias: como ter uma ideia criativa?

Toda nova ideia é apenas uma mistura de ideias anteriores. É praticamente impossível que você consiga criar algo 100% novo agora, sem construir uma bagagem cultural e um repertório de ideias anteriores.

Veja este exemplo.

Pense na sua mãe e no seu pai. Quais são as características deles? Como eles são? Quais são as suas habilidades?

Agora pense em você. Provavelmente, você carrega características de ambos, mas o seu somático é maior que as partes deles.

Em outras palavras: você é uma mistura do seu pai e da sua mãe.

E é isso que faz com que você seja tão especial e único, afinal você é a soma das suas influências e possui muita bagagem, repertório e não surgiu do nada.

As ideias surgem da mesma forma. Deu pra entender agora?

E agora? Como ser mais criativo no dia a dia?

Primeiro, você precisa se tornar um colecionador e não um acumulador de ideias. O que isso significa? 

Acumuladores são aquelas pessoas que coletam tudo o que vêem pela frente. Favoritam todas as páginas possíveis, mas nunca param pra ler nada.

Sempre começam um curso, mas não finalizam e já partem para outro.

Salvam milhares de livros, filmes, séries e outros formatos de conteúdo, mas raramente vão realmente parar para se aprofundar nesse assunto.

Colecionadores são completamente diferentes. Eles colecionam de forma seletiva e guardam apenas coisas que gostam ou amam.

O trabalho do colecionador é guardar boas ideias. Afinal, quanto mais ideias incríveis você tiver, mais fontes terá para poder escolher quais irão te influenciar. 

Quando estiver colecionando ideias para se inspirar, lembre-se sempre que lixo que entra é lixo que sai.

Aproveite para ler também: Como promover a criatividade e ideias inovadoras em sua equipe

Para finalizar este tópico, vou te passar 4 dicas simples para você se tornar um colecionador e ser mais criativo no dia a dia. Confira:

#01: Leia profundamente

Leia sempre. Vá à uma biblioteca. Procure livros online. Perca-se por estantes físicas ou virtuais. Leia bibliografias, ficção ou autoajuda.

O grande ponto não é focar em qual livro você vai começar, mas sim aonde os livros podem te levar.

#02: Mantenha a sua mente aberta

Não se limite a nada. Mantenha a mente aberta para novos assuntos e maneiras de consumir conteúdo. Que tal ouvir um podcast? Ou quem sabe estudar um pouco de antropologia?

Nada está errado, tudo é conhecimento e pode agregar muito à sua bagagem e repertório cultural.

#03: Continue a divagar

Seja curioso em relação ao mundo em que você vive. Confira. Pense. Investigue as referências. 

Vá mais fundo do que qualquer outra pessoa. É assim que você vai pra frente.

#04: Jogue tudo no Google

Jogue tudo no Google. Mesmo. Dê um Google nos seus sonhos, ideias, problemas. Não faça uma pergunta, antes de pesquisar sobre o assunto no Google.

Pode ter certeza que você vai encontrar a resposta ou então vai acabar encontrando uma pergunta ainda melhor.

Quais são os tipos de criatividade?

Existem 4 tipos de criatividade existentes. Veja quais são:

#01: Deliberada e cognitiva

Esse tipo de criatividade requer conhecimento e dedicação. Pessoas com esses traços na personalidade, geralmente fazem muita pesquisa antes de começar um novo trabalho, pois elas dependem de muito conhecimento acumulado para começar um projeto.

Elas são capazes de fazerem inúmeras combinações de assuntos diferentes, já que possuem diversos conhecimentos reunidos, principalmente a respeito do que será desenvolvido.

#02: Deliberada e emocional

Já as pessoas que possuem essas características, geralmente, precisam estar sozinhas e em um ambiente bastante calmo para conseguir trabalhar.

São pessoas que criam a partir da subjetividade e da reflexão, usando menos da racionalidade e da análise para a criação dos seus projetos. Muitas vezes, as suas entregas refletem traços das suas experiências pessoais.

#03: Espontânea e cognitiva

Uma pessoa espontânea e cognitiva, geralmente, precisa de um tempo fora do ambiente de trabalho para pensar, ter uma ideia e somente disso, começar a produzir.

Esse é o tipo de pessoa que só começa a ter ideias e produzir bem depois do puro ócio criativo.

Já aconteceu de você passar horas pensando e não conseguir criar nada? Então, do nada, você levanta por 5 minutos e a ideia surge. Se a resposta for sim, então provavelmente, você tem esse tipo de criatividade.

#04: Espontânea e emocional

Já as pessoas com esse tipo de criatividade, geralmente não conseguem trabalhar sob pressão e com prazos apertados.

Como elas estão mais ligadas ao estado emocional, essa pessoa não revela nada até que a ideia apareça de repente. O que muitas vezes pode ser tratada como algo mágico ou dom. Músicos e artistas são ótimos exemplos desse tipo de criatividade.

Aproveite para ler também: A importância da criatividade na sua carreira e como utilizá-la para resolver problemas.

Como estimular a criatividade em 10 passos

#01: Carregue um caderno e uma caneta com você aonde quer que vá

A criatividade pode surgir nos lugares e momentos mais inusitados. Por isso, é legal você carregar um pequeno caderno e caneta e criar o hábito de tomar nota de todo pensamento ou observação que você achar relevante.

Você pode copiar as suas passagens favoritas de livros. Gravar conversas que ouviu por aí. Rabiscar desenhos aleatórios enquanto fala ao telefone.

O artista David Hockney fez com que todos os bolsos internos dos seus casacos fossem adaptados para que neles coubessem cadernos. Já o músico Arthur Russell gostava de usar camisas com dois bolsos frontais para que pudesse preencher com pedaços de suas partituras.

No entanto, se você não é fã de cadernos. Que tal procurar uma ferramenta de anotações virtual? Não importa a forma, o importante é que funcione.

A ideia é: viu algo que vale a pena lembrar depois? Ponha no seu arquivo pessoal e utilize adiante para animar os seus trabalhos.

#02: Saia da frente da tela e use as suas mãos

A cartunista Lynda Barry diz que “em nossa era digital, não esqueça de usar as suas digitais.” A ideia é, literalmente, usar as suas mãos para estimular a criatividade no dia a dia.

Mesmo os computadores sendo muito úteis, por outro lado eles tiraram o sentimento de que estamos realmente fazendo alguma coisa. Ao invés disso, parece que estamos apenas batendo em teclas.

O artista Stanley Donwood, que fez a arte gráfica de todos os álbuns da banda Radiohead, diz que os computadores são alienantes porque colocam uma placa de vidro entre você e qualquer coisa que esteja acontecendo.

Em outras palavras: o computador está matando a sua criatividade.

Um trabalho que vem só da mente pode não gerar resultados bons. Por isso, é importante que você se mova, para sentir que está fazendo algo com o corpo e não apenas com a cabeça.

Além disso, o computador tem um estímulo para que você seja perfeccionista, já que a tecla delete está ali disponível o tempo inteiro.

Experimente:

Consiga papel, caneta, bloquinhos adesivos e outros materiais escolares que você quiser. Agora risque no papel, corte-o e cole os pedaços de volta. Prenda coisas na parede, procure padrões ou apenas espalhe coisas e rabisque outras.

Assim que começarem a surgir as ideias, você pode usar o computador para ajudar a executar essas ideias e colocá-las no mundo.

Caso você perca o pique, saia de perto do computador e volte para o modo analógico.

#03: Tenha projetos e hobbies paralelos ao seu trabalho principal

Projetos paralelos são aquelas coisas que você, provavelmente, deve pensar que são apenas distrações, quando, na verdade, são onde as coisas boas surgem e tudo acontece de verdade.

Você pode criar um projeto de arte. Um livro. Uma nova música. Quem sabe um projeto na internet? Ou ainda começar aulas de mandarim, de dança ou quem sabe de literatura de cordel.

Não importa o que você escolher. O mais legal é ter vários projetos para que você possa saltar entre eles, sem vergonha e medo de desistir de algo e começar outro.

Pratique a procrastinação produtiva e, quando enjoar de um projeto paralelo, pule para outro e depois para outro.

#04: Reserve um tempo para ficar entediado

Parece louco, mas se tem algo que ajuda a ser mais criativo, é sentar e não fazer nada. Algumas das nossas melhores ideias surgem quando estamos entediados, seja no momento de lavar a louça, passar as roupas ou andar de ônibus.

Por isso, se estiver sem ideias, lave a louça. Varra a sua casa. Arrume os livros da prateleira. As pessoas da sua casa agradecem e você ainda exercita a criatividade.

O importante é se sentir livre para se distrair. Perder-se. Sonhar acordado. Nunca se sabe aonde isso vai levá-lo.

#05: Desfruta do confinamento e da solidão

Em tempos de pandemia, o confinamento tem sido cada vez mais presente na nossa realidade. Mas e se você pudesse utilizar isso a favor da sua criatividade?

Tudo o que você precisa é de um espaço pessoal e um pouco de tempo. Talvez isso não seja possível durante o dia na sua casa, mas pode ser durante uma longa espera, de manhã cedinho antes das pessoas acordarem ou quem sabe no caminho a pé para a padaria de manhã.

Desfrute da sua solidão e da sua própria companhia. E não esqueça de levar o bloco de anotações com você.

#06: Esteja perto do talento

Lembra que falamos logo no começo deste texto que “lixo que entra, é lixo que sai”?

Pois lembre-se: você será tão bom quanto as pessoas das quais você se cerca.

Falando do mundo digital, isso significa seguir as melhores pessoas online. Pessoas que são espertas, inteligentes, criativas e possuem trabalhos realmente interessantes.

Preste atenção sobre os assuntos que elas falam, o que estão fazendo e o que estão compartilhando. Então, guarde todas as boas ideias no seu bloco de anotações.

#07: Fique com muita raiva e vá trabalhar

A raiva pode ser uma ótima fonte de criatividade, sabia? Eu sei que parece louco, mas Henry Rollins, por exemplo, se considera uma pessoa indignada e curiosa, e isso é o que o mantém em ação.

Ele diz que, algumas vezes, não consegue se levantar da cama, então ele começa a ler e-mails e comentários no Twitter até o sangue começar a ferver e ele ficar indignado o bastante para pular da cama.

Mas, ao invés de perder tempo reclamando ou arrumando confusão na internet, ele prefere canalizar toda essa força para a escrita e os desenhos.

Que tal fazer um teste? Só cuidado para não partir para cima das pessoas.

#08: Estabeleça e mantenha uma rotina. Isso é ainda mais importante do que ter muito tempo

A pior coisa que um emprego fixo faz é tirar o seu tempo, mas ele recompensa ao dar uma rotina na qual você pode reservar um horário fixo para buscas criativas.

A inércia é a morte da criatividade. Então, você precisa manter o ritmo. Quando sair do ritmo, você vai começar a ter medo de tentar criar algo.

Então, a solução é simples: crie uma rotina e defina um horário para você coletar ideias. Faça isso todo dia, não importa o que aconteça. Sem feriados ou dias de cama. Não pare.

Isso também não significa separar várias horas por dia. Comece aos poucos. Que tal 10 minutos por dia e depois aumentar? Ninguém disse que seria divertido. Mas o final valerá a pena.

#09: Escolha o que deixar de fora

Estamos em uma era de abundância e excesso de informações, por isso aqueles que estarão à frente, serão aqueles que souberem o que deixar de fora, para se concentrar no que é realmente importante.

Nada é mais paralisante do que ter a possibilidade de ideias e escolhas limitadas. A ideia de que você pode fazer milhares de coisas é apavorante.

Por isso, a maneira de superar bloqueios criativos é se impor algumas restrições. Parece contraditório, não é mesmo? Mas quando falamos em criatividade, a limitação pode ser a liberdade.

Mas como fazer isso?

Pinte um quadro com uma única cor. Comece um negócio sem nenhum capital. Construa algo do zero com peças avulsas. Faça coisas com o tempo, espaço e materiais que você tem agora. Agora mesmo.

#10: Divirta-se na jornada

A busca pela criatividade não deve ser cansativa ou chata, mas sim alcançada com persistência e muita diversão.

Escolha tudo com sabedoria e coloque amor nisso. O resultado não poderá ser ruim.

Como ser uma pessoa criativa: as principais características dos criativos

Como já falamos no início, a criatividade é uma habilidade que pode ser aprendida. No entanto, existem habilidades e traços comuns às pessoas que são mais criativas. Geralmente elas estão sempre fazendo perguntas, exibindo um comportamento mais lúdico, possuem sensibilidade emocional e nunca estão conformadas com certas situações.

De acordo com Csikszentmihalyi (no livro Creativity – Flow and the Psychology of Discovery and Invention), existem 10 características de uma personalidade criativa, que são:

  • possuem muita energia, mas também são quietos e tranquilos;
  • tendem a serem espertos, mas ingênuos ao mesmo tempo;
  • têm uma combinação de ludicidade e disciplina, ou responsabilidade e irresponsabilidade;
  • alternam entre imaginação e fantasia de um lado, e senso de realidade de outro;
  • acolhem as tendências opostas entre extroversão e introversão;
  • são notavelmente humildes e orgulhosos ao mesmo tempo;
  • até certo alcance, escapam de estereótipos rígidos de gênero e tem uma tendência à androginia;
  • geralmente são imaginados como rebeldes e independentes;
  • a maioria é apaixonada pelo trabalho, mas podem ser extremamente objetivas sobre ele também;
  • a abertura e sensibilidade de indivíduos criativos frequentemente os expõem a sofrimentos, mas também a uma grande quantidade de satisfação e alegria.

Livros sobre criatividade para você começar a ler esta semana

Veja a nossa lista de livros sobre criatividade para você começar a ler e estimular o surgimento das suas ideias.

#1: Roube como um artista

Em “Roube como um artista”, Austin Kleon rompe o padrão de que a pessoa criativa é quem cria algo completamente novo que nunca existiu.

Neste livro, é possível perceber que a criatividade é sobre a transformação de ideias criativas, ao se inspirar e “roubar” de outras pessoas, porém o desafio é não copiar o trabalho de ninguém.

Outro ponto importante é que o livro é focado na praticidade. O autor quer transformar, mudar, fazer o leitor descobrir e ativar sua própria criatividade, e espera conseguir isto com todas as dicas e macetes que cita no livro.

Roube como um artista é uma obra curta e intensa, para despertar aquele lado criativo e mostrar novas formas de resolver problemas.

#2: Confiança criativa

Esse livro mostra que a capacidade de inovação são como os músculos, que se bem treinados, qualquer pessoa consegue desenvolver essa habilidade.

Em Confiança criativa, os irmãos Kelley nos lembram que todos temos muitas ideias e insights para oferecer, porque  a criatividade é uma abordagem proativa na busca por soluções.

Assim, nem todos somos artistas, mas podemos ser advogados, médicos, gerentes ou vendedores mais criativos.

#4: Click: Como resolver problemas insuperáveis

Com uma narrativa prática, David Niven aborda uma técnica infalível para resolver qualquer problema, além de mostrar como os comportamentos negativos nos condicionam a pensar e agir sempre do mesmo modo ineficiente, nos aprisionando em uma situação que não permite enxergar soluções inovadoras.

Após ler Click, você começará a pensar fora da caixa e vai se juntar a Albert Einstein, Clint Eastwood, Warren Buffett e Steven Spielberg no ilustre time de pessoas que encontraram soluções extraordinárias para problemas cotidianos.

#5: A arte da criatividade, Rod Judkins

Neste livro, o autor tem como missão trazer o espírito da criatividade e da liberdade do mundo da arte para a vida cotidiana, ele mostra que a criatividade, além de ser a chave para resolver muitos problemas no mundo do trabalho e dos negócios, é uma forma de se relacionar com a própria vida. 

O diferencial é que o livro não possui uma ordem, trazendo uma lógica super diferente.

Ao longo dos textos, o livro une  técnicas para desenvolver o pensamento criativo e análises sobre o comportamento de mentes brilhantes como Andy Warhol, Steve Jobs e outras personalidades de diversas áreas, além de ensinar como superar obstáculos como insegurança, medo ou falta de motivação.

Gostou deste post? Então, não deixe de ler também sobre criatividade e inovação, quais são as diferenças e como estimular as duas ferramentas na sua vida e carreira. Boa leitura!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Umbora - Experiências Educacionais

Av. Washington Soares, 909 salas 83 A | B, Edson Queiroz, Fortaleza – CE

+55 (85) 3241.5759
+55 (85) 99139.0285

#umboranessa

© 2018 Umbora. Todos os direitos reservados. CNPJ: 27.212.739/0001-13