fbpx
moça colando post-its em uma lousa branca e fazendo brainstorming

Brainstorming: o que é e como fazer passo a passo

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Brainstorming é um método que as equipes de design, produto ou marketing utilizam para gerar ideias e resolver problemas. Em condições controladas e um ambiente de pensamento livre, as equipes abordam um problema com perguntas, produzem várias ideias e estabelecem ligações entre elas para encontrar soluções potenciais.

Apesar das várias vantagens, ainda existe um debate contínuo entre os que acreditam firmemente no poder do brainstorming e aqueles que pensam que isso é um monte de bobagens.

Depois de décadas de sessões de brainstorming em todos os ambientes imagináveis, você pensaria que haveria um consenso sobre o valor dessa abordagem para gerar ideias inovadoras. Mas, não existe.

Então, por que ainda existem discussões sobre brainstorming?

Brainstorming NÃO é uma ferramenta, como um martelo ou abridor de latas. É uma habilidade como xadrez, beisebol ou tocar piano, que possuem regras e também estratégias para o sucesso.

E é impossível se tornar um mestre sem treinamento e prática eficazes.

Assim como no xadrez ou no futebol, as regras do brainstorming são diretas e relativamente fáceis de lembrar.

No entanto, elas são desafiadoras para implementar.

Por exemplo, uma regra fundamental do brainstorming é “deixar o julgamento de lado”. Ou seja, não critique as ideias dos outros. O quão difícil isso pode ser para você?

Da mesma forma, é fácil afirmar que o objetivo do futebol é acertar uma bola no gol. É bastante difícil fazer isso, mas não dizemos que o futebol não funciona, certo?

É uma loucura esperar resultados significativos de uma sessão de brainstorming quando o grupo está cheio de amadores que não foram treinados e não dominam as habilidades. Isso seria como escolher um grupo aleatório de pessoas e pedir-lhes para jogar basquete profissional ou balé.

Se você quer se tornar um brainstormer mestre, capaz de gerar ideias realmente ousadas e inovadoras, existem algumas regras básicas e muitas estratégias que exigem prática. Segue um tutorial:

Regras básicas do brainstorming

O brainstorming foi popularizado pela primeira vez por Alex Faickney Osborn em seu livro Applied Imagination, publicado em 1953 após ele usar essa abordagem por mais de uma dúzia de anos.

Em seu livro, ele descreve uma série de regras para sessões de brainstorming. Os quatro princípios básicos são:

  1. Guarde o seu julgamento para si mesmo(a);
  2. Gere muitas ideias;
  3. Incentive a geração de ideias incomuns, mesmo que não sejam utilizadas;
  4. Combine ideias.

Além dessas regras simples, existem muitas estratégias que dão vida a essas regras.

E elas começam muito antes de você reunir as pessoas, começando com a configuração do espaço, escolhendo os participantes e formulando as perguntas.

#01: O que fazer antes da sessão de brainstorming começar

O brainstorming é muito parecido com uma dança, então você precisa de um espaço adequado para estimular um processo fluido.

Primeiro, deve haver espaço para as pessoas se movimentarem. Além disso, assim como na dança, o brainstorming precisa ser feito em pé.

Este ponto não é trivial. Ao se levantar em vez de sentar, o grupo fica muito mais enérgico e engajado. Ficar em pé também permite mudanças rápidas no fluxo de pessoas e ideias.

Você também precisa de espaço para capturar todas as ideias ao longo do caminho. 

A abordagem mais comum é usar quadros brancos ou flip charts. Lembre-se de que quanto maior o espaço para ideias, mais ideias você terá.

Na verdade, quando você fica sem espaço, geralmente fica sem ideias.

Portanto, pense em cobrir todas as paredes da sala com papel de jornal, de modo que todo o espaço possa ser usado para capturar as ideias do seu grupo.

Ou você pode usar um conjunto de janelas como superfície para post-its. Quando terminar, todas as paredes e janelas devem estar cobertas com pedaços de papel colorido. Bacana, né?

#02: Quem deve participar da sessão

Uma sessão de brainstorming é tão interessante quanto o cérebro na sala. Portanto, escolher os participantes do brainstorm é extremamente importante.

Não é bom o suficiente reunir aleatoriamente algumas pessoas em seu escritório e trazê-las para um brainstorm. Você precisa ter muito cuidado com quem estará na sessão.

As pessoas convidadas devem ter pontos de vista e experiência muito diferentes sobre o assunto. Lembre-se de que o grupo de brainstorming não é o mesmo grupo de pessoas que tomará as decisões finais.

Se você vai projetar um carro novo, por exemplo, precisa incluir pessoas com perspectivas e conhecimentos muito diferentes.

Isso pode incluir os engenheiros que constroem os carros, os clientes que os compram, os vendedores que os vendem, os mecânicos que os consertam, os manobristas que os estacionam e assim por diante.

Além disso, considere as pessoas que podem trazer uma perspectiva e experiência totalmente novas, como pessoas com deficiência, crianças que se sentam no banco de trás, bem como pessoas que projetam bicicletas, foguetes ou submarinos.

Essas pessoas não tomam a decisão final sobre o design do carro, mas seus pontos de vista e ideias são incrivelmente valiosos para a geração de ideias.

O tamanho do grupo também é um problema.

Sempre existe uma tensão entre ter vários pontos de vista e poder ter uma conversa em que todos contribuam. 

Aparentemente, a Amazon tinha uma política de “equipes de duas pizzas”. Nenhuma equipe era maior do que poderia ser alimentada com duas pizzas, o que permitia uma ótima comunicação e colaboração.

Quando uma equipe ficava maior do que isso, ela se quebrava em duas. Esta também é uma ótima diretriz para brainstorming.

Com seis a oito pessoas (e algumas pizzas), você tem um grupo que pode trazer uma variedade de perspectivas e também interagir facilmente.

#03: Quais tópicos serão abordados no brainstorming

Essa etapa geralmente é colocada de lado. O enquadramento da questão do brainstorm é uma decisão crítica.

Por exemplo, você está pedindo ideias para um novo crachá ou um dispositivo de apresentação? Você está pedindo ideias para um novo guarda-chuva ou uma maneira de ficar seco na chuva?

Ou você está pedindo uma mala melhor ou uma forma de ter as coisas de que precisa no seu destino? Você está planejando uma festa de aniversário ou uma forma de marcar o aniversário de alguém?

Cada uma dessas questões apresenta um conjunto totalmente diferente de soluções.

Uma pequena mudança na maneira como você faz a pergunta muda drasticamente o tom e o escopo das respostas.

E lembre-se: sem a pergunta certa no início, sua sessão de brainstorming está condenada.

#04: O que mais deve estar na sala

É útil encher a sala com coisas que estimulem a discussão.

Por exemplo, se você está fazendo um brainstorming sobre o design de uma nova caneta, deve ter muitos instrumentos de escrita diferentes, bem como aparelhos e brinquedos interessantes para despertar sua imaginação.

Você precisa ter papel e caneta para todos, além de outros materiais de prototipagem simples, porque você vai querer fazer a simulação de um exemplo rápido. Isso inclui fita adesiva, tesoura, papelão, elásticos e assim por diante. Muitas pessoas “constroem para pensar”.

O ato de criar um exemplo rápido com materiais simples realmente ajuda o processo de raciocínio. E um protótipo geralmente comunica muito mais do que palavras ou um desenho.

#05: Como iniciar a sessão de brainstorming

Iniciar uma sessão de brainstorming nem sempre é fácil.

As pessoas precisam mudar de seu modo de trabalho diário, onde o foco está na execução, para uma mentalidade de brainstorming, onde não há um destino claro. 

Fazer um breve exercício de aquecimento pode ajudar nessa transição. Existem zilhões de maneiras de fazer isso.

Uma delas envolve dar a todos um conjunto de letras de papel que soletram uma palavra longa, como “empreendedorismo”, e pedir que usem cinco minutos para criar o máximo de palavras possível usando essas letras.

Outra envolve começar com uma sugestão aparentemente boba, como “Como você projetaria óculos se não tivéssemos orelhas?”

Mais uma vez, este exercício expande a imaginação e prepara a todos para o verdadeiro trabalho que tem pela frente.

#06: As principais regras do brainstorming

Existem regras reais para um brainstorming eficaz. Como mencionado acima, uma regra importante é que não existem ideias ruins. Isso significa que os participantes não podem criticar as ideias dos outros.

Na verdade, não importa o quão estranha seja a ideia, seu trabalho é construí-la. O segredo é abraçar todas as ideias geradas e trabalhar com elas por um tempo.

Brainstorming é uma forma de explorar todas as possibilidades, sejam elas inspiradoras ou não.

Este é o maior desafio para a maioria das pessoas – elas sentem a necessidade de avaliar as ideias à medida que são geradas. Isso por si só pode matar uma sessão de brainstorming.

Também é importante encorajar ideias malucas. Mesmo que pareçam estranhos, pode haver uma jóia escondida dentro.

O segredo é gerar o máximo de ideias possível. Defina um objetivo para si mesmo, como chegar a quinhentos novos sabores de sorvete.

Depois de chegar a trezentos, você sabe que só tem duzentos pela frente. Você foi além das primeiras ondas de ideias e está preparado para gerar as receitas mais interessantes e surpreendentes.

É importante lembrar que cada ideia é uma semente com potencial para se tornar algo notável. Se você não gerar essas ideias, então, como as sementes que nunca foram plantadas, nenhuma quantidade de tempo e cuidado produzirá resultados frutíferos.

E quanto mais ideias você tiver, melhor. Assim como as sementes, você precisa de um grande número para encontrar aquelas que são mais promissoras.

Uma maneira de se libertar das ideias esperadas é encorajar ideias tolas ou estúpidas. Isso desencadeia ideias que nunca teriam surgido se eles se concentrarem apenas em suas melhores ideias.

Quando as pessoas são solicitadas a gerar ideias ruins, elas adiam o julgamento e vão além das soluções óbvias.

Na verdade, as ideias mais malucas frequentemente acabam sendo as mais interessantes quando analisadas através do quadro de possibilidades.

#07: O processo de brainstorming

Depois de ter o espaço, as pessoas e as perguntas certas, e ter lembrado a todas as pessoas sobre as regras, a sua meta é tornar o processo o mais fluido possível. 

Apenas uma conversa deve estar acontecendo por vez, para que todos estejam em sincronia. Ao longo do caminho, você vai desafiar os participantes a olhar para o problema de diferentes pontos de vista.

Uma abordagem é remover as soluções mais óbvias do conjunto de possibilidades, de modo que você tenha que inventar outra coisa.

Isso força você a enfrentar o desafio sem a ferramenta esperada em sua caixa de ferramentas.

Por exemplo, se você está pensando em maneiras de tornar mais fácil estacionar seu carro em uma cidade movimentada, a resposta esperada é adicionar mais vagas de estacionamento.

Se você eliminar essa possibilidade, surgirão outras respostas menos óbvias.

Durante uma sessão de brainstorming, você também deve lançar sugestões surpreendentes e provocativas ao longo do caminho, que ajudarão o grupo a superar suas suposições.

Por exemplo, se você está tendo ideias para um novo playground, pode perguntar como alguém poderia projetar um playground na lua ou debaixo d’água.

Você pode perguntar como você pode projetá-lo cem anos no futuro ou no passado. 

Você pode perguntar como uma criança o projetaria ou alguém com deficiência. 

Você poderia perguntar como você o projetaria com um dólar ou com um milhão de dólares.

Ou você pode solicitar ideias para o playground mais perigoso do mundo.

Na verdade, estudos mostraram que quanto mais você se afasta de seu lugar e tempo atuais, tanto física quanto mentalmente, mais imaginativas são suas ideias.

Além disso, é importante desenvolver as ideias de outras pessoas. Em um brainstorm perfeito, há um ritmo para a discussão.

Alguém tem uma ideia e várias pessoas a desenvolvem por um curto período. Então você pula para uma nova abordagem. 

Para fazer esse trabalho sem problemas, todas as ideias devem ser escritas como declarações curtas, como “construa uma casa na lua” ou “dê a todos a chave da construção”, em vez de longas descrições que parecem planos de negócios.

As declarações curtas são como manchetes de jornal para cada uma das ideias.

#08: Como as ideias são capturadas

Certifique-se de que todos tenham caneta e papel ou post-its. Isso pode parecer corretivo, mas não é.

Se apenas uma pessoa estiver no quadro escrevendo ideias, eles controlam quais ideias são capturadas.

Quando todos escrevem, você evita a “tirania da caneta”, onde a pessoa com a caneta controla o fluxo de ideias e o que é capturado.

Além disso, se todos tiverem papel e caneta, podem escrever ou desenhar suas ideias em tempo real, sem ter que esperar um buraco na conversa.

Quando eles se manifestarem, eles já terão capturado a ideia, então será mais rápido adicioná-la ao quadro.

O uso de post-its permite que cada pessoa anote as ideias à medida que surgem e, em seguida, coloque-as no quadro quando for a hora certa.

Eles também forçam os participantes a escrever “manchetes” curtas para resumir cada ideia, em vez de gastar muito tempo escrevendo muitos detalhes.

As notas adesivas também permitem que você reorganize e agrupe ideias semelhantes à medida que os padrões surgem. Tudo isso contribui para o espírito criativo da sessão de brainstorming.

#09: Quanto tempo leva uma sessão de brainstorming

Geralmente, é impossível manter a energia necessária para um brainstorming produtivo por mais de uma hora.

Isso significa que deve haver um limite claro para a quantidade de tempo definida em cada sessão.

Um brainstorming rápido de dez a quinze minutos funcionará se todos os participantes já se conhecem e podem mergulhar rapidamente na geração de ideias. 

Uma sessão mais longa de quarenta e cinco a sessenta minutos produz os melhores resultados.

O segredo é tornar a sessão longa o suficiente para ir além das primeiras ondas de ideias.

No entanto, essas sessões mais longas devem ser divididas em segmentos menores, injetando várias perguntas provocativas e diferentes ao longo do caminho, a fim de manter a discussão atualizada e todos envolvidos.

É melhor terminar uma sessão de brainstorming com uma nota alta, deixando todos querendo mais.

Na verdade, poucas coisas são melhores do que uma sessão de brainstorming robusta.

Todos se sentem revigorados e validados, enquanto os outros desenvolvem suas ideias. Se você não se sentir bem no final de uma sessão de brainstorming, você fez tudo errado.

No final da sessão, a sala deve estar saturada de ideias. Deve haver palavras e desenhos cobrindo as paredes e protótipos nas mesas.

Deve parecer e sentir que o assunto foi totalmente explorado, fornecendo uma rica coleção de material que pode ser minerado.

#10: O que você fazer no final da sessão

Às vezes, o final de uma sessão de brainstorming é a parte mais desafiadora do processo.

Conforme discutido anteriormente, aqueles que fazem parte da sessão de brainstorming representam uma ampla gama de perspectivas, mas não são os que decidirão quais ideias implementar.

Mesmo assim, os participantes geralmente estão ansiosos para escolher suas ideias favoritas e é útil saber suas preferências.

Para resolver isso, você pode dar a todos os participantes a chance de votar em suas melhores escolhas em várias categorias diferentes.

Por exemplo, peça a cada pessoa para colocar uma estrela vermelha ao lado das ideias que terão o maior impacto, uma estrela azul ao lado das que podem ser implementadas rapidamente e uma estrela verde ao lado das ideias com melhor custo-benefício.

Esse processo fornece aos tomadores de decisão informações úteis sobre o que fazer a seguir e fornece a todos os envolvidos a chance de expressar uma opinião.

A etapa final é capturar tudo o que aconteceu. Tire fotos de todas as ideias, faça anotações sobre as melhores e salve todos os materiais que puderem ser salvos. Eles são os produtos valiosos da sessão de brainstorming.

A pessoa ou equipe encarregada de tomar as decisões sobre o projeto pode explorar essa enorme coleção de ideias diversas e decidir quais seguir.

Esses materiais podem ser revisitados a qualquer momento no futuro. Com o passar do tempo, algumas das ideias que parecem pouco práticas podem parecer promissoras.

Quanto mais você faz brainstorming, mais perguntas você descobre. A chave é praticar, praticar e praticar.

Gostou deste post? Então, aproveite para conferir também esta lista com 6 ferramentas para promover a geração de ideias online nas equipes. Boa leitura!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Umbora - Experiências Educacionais

Av. Washington Soares, 909 salas 83 A | B, Edson Queiroz, Fortaleza – CE

+55 (85) 3241.5759
+55 (85) 99237.2359

#umboranessa

© 2018 Umbora. Todos os direitos reservados. CNPJ: 27.212.739/0001-13