fbpx
persona e público-alvo

Personas X Público alvo: veja qual a diferença e como aplicar na sua empresa

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Entenda qual a diferença entre persona e público-alvo e como esses conceitos podem ser usados na estratégia da sua empresa e no aumento do relacionamento dos seus clientes com a sua marca.

Você realmente conhece o seu cliente? Sabe do que ele precisa? E mais, você consegue definir as ações da sua empresa de forma efetiva?

Tudo isso pode ser facilmente resolvido quando você tem um direcionamento bem definido e, para fazer isso, é necessário conhecer o seu público e se comunicar de uma maneira que ele entenda.

Existe duas maneiras de fazer isso: criando um público-alvo ou uma persona.

Neste post, vamos explicar qual a diferença entre o público-alvo e a persona, exemplos e como criá-los na sua empresa. Continue lendo!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Mas afinal, o que significa público-alvo?

O público-alvo, também conhecido como target, é uma definição demográfica, socioeconômica e comportamental de um grupo de pessoas que a empresa considera como possíveis consumidores do seu produto ou serviço.

Com esse público definido, é possível direcionar ações de marketing e venda ou, simplesmente, adaptar os processos da empresa para atender os consumidores da melhor maneira possível.

Para criar um público-alvo, são consideradas as seguintes informações:

  • Idade;
  • Sexo;
  • Grau de escolaridade;
  • Poder aquisitivo;
  • Classe social;
  • Localização;
  • Hábitos de consumo.

Há poucos anos, a criação de um público-alvo costumava ser o principal passo antes de iniciar qualquer ação de marketing.

No entanto, esta prática acabou caindo em desuso e deixou de ser o único direcionador das campanhas de marketing e ações da organização.

Afinal, a noção de público-alvo é muito mais generalista, pois considera dados que são comuns em uma grande parcela da sociedade, enquanto o conceito de persona vai bem mais a fundo e possui informações personalizadas e reais dos clientes.

Veja um exemplo de público-alvo:

“Mulheres, de 35 a 45 anos, empreendedoras, casadas, moradoras de capitais, com renda entre R$ 100.000 a R$ 200.000, que gostem de buscar capacitações e manter-se atualizadas.”

Como definir o público-alvo do meu negócio?

Se você quer definir qual o público-alvo da sua empresa, essas perguntas podem ajudar o seu processo:

  • seu produto ou serviço é para empresas ou pessoas físicas?
  • em que região, cidade ou estado moram as pessoas que compram seu produto?
  • esse é um produto destinado a um só gênero ou é unissex? No caso da última opção, é comprado mais por homens ou mulheres?
  • qual é a idade dos seus consumidores?
  • qual é a renda?
  • qual é a formação?
  • qual é o estado civil?
  • qual é a idade ou a geração para a qual se destina o produto?
  • com qual frequência consome o produto?

Se você já possui clientes, fica mais fácil responder a essas perguntas. Você pode criar uma pesquisa, conversas com alguns clientes ou observar os padrões com base nos dados fornecidos pelos seus consumidores.

No entanto, se você ainda não tem clientes ou pretende lançar o seu produto para um novo público, é possível conferir pesquisas de marketing, dados levantados sobre o seu segmento ou mesmo pesquisas do IBGE, por exemplo.

Ok, e o que é persona?

A persona, ou buyer persona, é um perfil semi fictício do cliente ideal da sua empresa. O objetivo é que você consiga conhecer melhor o seu cliente, o que ele realmente precisa e quais são as suas dores e necessidades.

Criar uma persona possibilita a criação de estratégias mais efetivas, afinal ela traz muito mais detalhes do que o público-alvo, levando a ações mais segmentadas, focadas e eficientes.

Para criar uma persona são consideradas as informações abordadas no público, e também:

  • um nome fictício, para facilitar a conexão;
  • uma breve história sobre o dia a dia da persona;
  • profissão;
  • hábitos de compra;
  • estilo de vida;
  • redes sociais favoritas;
  • hobbies;
  • valores;
  • dores relacionadas ao seu produto;
  • dúvidas;
  • ambições.

Veja um exemplo de persona:

“Maria tem 45 anos e é empreendedora. É CEO e fundadora de uma grande empresa de cosméticos nacional, trabalhou desde cedo e alcançou o sucesso profissional após anos de trabalho. É considerada uma referência entre familiares e colegas.

É casada, mãe de 2 filhos e gosta de estar com a família durante o final de semana, principalmente viajando.

Adora cuidar da aparência e estar impecável. Mas, também preza pelo aprendizado permanente, por isso está sempre se especializando e buscando novas certificações.

Apesar do sucesso que todos admiram, ela sente medo de falhar e de perder tudo o que conquistou. Sonha em, um dia, que a empresa cresça mais e atinja novos patamares.”

E aí, conseguiu perceber a diferença entre público-alvo e persona?

Como descobrir a persona da minha empresa

Antes de sair desenhando qualquer “personagem”, é importante saber que uma persona se cria baseada em dados e não em achismos.

Certo, mas o que isso significa? Significa que para saber profundamente quem é a persona do seu negócio, você precisa fazer algo muito simples: conversar com o seu cliente.

Só isso? Sim. É preciso que você converse, pesquise e analise os dados para que, somente depois, consiga entender e desenhar a sua persona.

Veja algumas ideias para colher os dados dos seus clientes:

  • pesquisas na empresa, para que os clientes respondam quando estiverem dentro da loja;
  • pesquisas digitais, para que os clientes respondam depois que comprarem na sua loja, seja ela física ou digital;
  • envio de e-mail para a sua base de clientes, com um link para que eles respondam a sua pesquisa;
  • selecionar um grupo de clientes com o perfil ideal e fazer uma pesquisa cara a cara.

Existem outras possibilidades e você pode utilizar a que mais se adequa à sua empresa. Veja a seguir as perguntas que podem ser utilizadas na sua pesquisa:

  • quem é o seu potencial cliente? (características físicas e psicológicas do decisor da compra);
  • que tipo de assunto ele consome sobre o seu setor?
  • quais são as atividades mais comuns que ele realiza, tanto pessoalmente quanto profissionalmente?
  • qual é o seu nível de instrução? Quais seus desafios e obstáculos?
  • que tipo de informações ele consome e em quais veículos?
  • quais são os seus objetivos, as suas dificuldades e os seus desafios?
  • como podemos ajudá-la?

Conseguiu entender a diferença entre o público-alvo e a persona? Independentemente da estratégia adotada na sua empresa, é importante utilizar os dados colhidos para melhorar a experiência do cliente com a sua marca.

Pensando nisso, que tal saber mais sobre esse assunto? Continue lendo no nosso blog e veja 5 dicas para melhorar a experiência do seu cliente na sua empresa. Boa leitura!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Umbora - Experiências Educacionais

Av. Washington Soares, 909 salas 83 A | B, Edson Queiroz, Fortaleza – CE

+55 (85) 3241.5759
+55 (85) 99139.0285

#umboranessa

© 2018 Umbora. Todos os direitos reservados. CNPJ: 27.212.739/0001-13